English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
Links Brasil Net

Tudo sobre as obras de J.R.R.Tolkien!

...pedo mellon a minno...


Arquivo do blog

sexta-feira, 7 de março de 2014

Para uma vida longa e feliz...

Por Luziane Palma

A boa leitura define-se por um ou alguns fatores que escolhemos particularmente, conforme nossas necessidades, preferências, emoções, mas um bom livro independe de tudo isso, basta senti-lo, entende-lo.
É fácil reconhecer, ele transmite algo de bom, puro, especial, e depois de termina-lo você sente que algo mudou em seu coração, um sentimento de ter encontrado a chave que une você àquele “mundo extraordinário” criado para entretê-lo.
“Para uma vida longa e feliz”
... este é um dos subtítulos da obra de Noble Smith, A Sabedoria do Condado, sem delongas ou muitas palavras, o livro nos remete a um estilo diferenciado de viver, em específico, ao modo Hobbit de viver!
Modelo este de vida trazido para nós por um hobbit de alma e coração, mestre e professor Tolkien, demonstrado em diversas situações em suas obras, ele nos revelou o segredo da felicidade, de modo simples, através de seres tão especiais, que tiveram um papel essencial e único em seu trabalho.
Que agora chega a seus fãs através de uma bela análise, com palavras hábeis, pelo escritor Noble Smith, suas reflexões à respeito das ações e emoções vividas nas obras de Tolkien e o que podemos tirar de ensinamento sobre elas, “talvez” tornarmo-nos um pouco hobbit na forma de agirmos, pensarmos, sentirmos.
Antes de falar mais sobre a temática do livro em si, deixo aqui uma citação do próprio Aragorn, que está no livro de Smith também:
“Deixe que o condado viva para sempre alegre.”

Defensora continua do tema central da obra de Tolkien, a “amizade”, sempre percebi que este era o assunto mais notável da maioria de seus livros, a lealdade, a preocupação com seus amigos e companheiros, e sendo assim tomei como exemplo essa questão, para refletir um trecho na obra de Smith com o mesmo conteúdo, “A Sociedade do Condado”, onde primeiramente é feita uma descrição das “irmandades” (termo usado pelo autor) existentes no livro Senhor dos Anéis, amigos que foram unidos antes mesmo da própria Sociedade do Anel existir, ressalta companheiros unidos por laços de lealdade, persistência em manter uma amizade, Merry e Pippin demonstram diversas vezes estes sentimentos, tanto dentro do seu núcleo de irmandade como fora, quando unem-se aos Homens de Rohan.
Menciona também Bilbo, no livro O Hobbit, e sua inesgotável fonte de valentia ao se ver sozinho e decidido a salvar seus amigos anões das aranhas gigantes.
Tendo como base esses diversos pequenos exemplos, aqui e ali, do Condado a terras distantes de seus lares, povos e épocas diferentes, Smith nos remete ao tema central desses personagens, os amigos.
Amigos que mesmo longe, mesmo na doença, em suas dificuldades, não nos abandonam! E sabemos o quanto isso é difícil hoje em dia, raro por assim dizer, poucos se arriscam a abrir suas vidas em nome da verdadeira amizade.
Smith cita o quão complexo é manter uma amizade nos dias atuais, está nova Era na qual fazemos tudo pelo computador, e as conversas digitais são mais fáceis e o tempo de cultivar amigos mais difíceis.
Livro simples e fascinante, diversos são os exemplos, sempre com um fundo moral e educativo, verdadeiros encantamentos de uma receita para vida feliz e simples, a sabedoria do Condado como nos disse...

“Que a estrela brilhe na hora que você estiver conhecendo um novo amigo, e continue a iluminar o longo caminho de sua amizade.” (A Sabedoria do Condado, pg 124)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget